segunda-feira, 27 de junho de 2016

O "SAN-SÃO DA PAZ" E, DE NOVO, DA DIVERSÃO

*por Adriano Oliveira

O jogo mal havia começado e os santistas já comemoravam o primeiro gol no Pacaembu.
Aos 40 segundos, isso significava um mau prenúncio para os são-paulinos? Sim.


Afinal, era dia de clássico contra o Santos. E, há algum tempo, somente isso já é o suficiente mesmo para o mais otimista dos são-paulinos. A diretoria também dá mostras dessa realidade que incomoda quando, em comum acordo, decide realizar as duas partidas do clássico no campeonato em estádio considerado neutro, como o Pacaembu, talvez por não querer jogar na Vila Belmiro. E também quando no ano anterior contrata um treinador (Doriva) somente para tentar superar o rival em decisão de mata-mata na Copa do Brasil.
O placar do clássico foi 3 x 0 para o Santos, que dominou amplamente o jogo.
Mas Paulo Henrique Ganso não jogou?
Não, mais uma vez foi “poupado” diante de seu ex-time, o que está se tornando rotina. Contudo, e se Ricardo Oliveira tivesse jogado do outro lado? Seu suplente e novo reforço santista, Rodrigão, uma mistura de Walter com Durval, é o bom e velho trombador fazedor de gols, aquele jogador que, mesmo a contra-gosto, todo torcedor gosta de ver em seu time. Porém, visivelmente fora de forma, se cansou na etapa final. Faltou o fôlego que o veterano Ricardo Oliveira teria de sobra.
Para o são-paulino, talvez fosse melhor que o goleiro Dênis tivesse sido “poupado” ao invés de Ganso. Menos para aquele que escala o time, Patón Bauza.
Ainda assim, o "remendado" São Paulo tinha em campo Calleri, Maicon, Michel Bastos e ele, “Díos” Lugano que, destemperado, acabou sendo expulso. Não foi por mal. Lugano quase sempre será o destemido "xerifão Pablo Guiñazu" quando estiver diante de um time jovem, leve e muito rápido como o Santos de Lucas Lima, Vitor Bueno, Gabriel e Thiago Maia. E a expulsão também será quase sempre certa quando ouvir o grito de olé da torcida adversária, a provocação que mais dói no ouvido de um jogador. Lugano ouviu e sentiu essa dor desde os 20 minutos do 2º tempo, tamanha era a superioridade santista no clássico, o que ele mesmo confirmou em entrevista após a partida. E o que o ídolo uruguaio pediu para a diretoria? Reforços.
O argentino Calleri também poderia ter sido expulso após entrada desleal no goleiro santista Vanderlei. Mas o árbitro, fraco, não quis “incendiar” ainda mais os ânimos já acirrados dentro de campo. Afinal, aquele era também o “San-São da Paz”.
Enquanto isso, o meia Lucas Lima deu resposta à desconfiança da torcida dentro de campo. Comandou o time, deu chapéu, driblou, fez lançamentos. Pintou e bordou. Deitou e rolou. O protagonista do jogo que “enlouqueceu” os defensores adversários. No fim, aos 44 minutos do 2º tempo, para coroar sua grande atuação, ainda fez um belo gol de falta, ao melhor estilo de Lionel Messi, que selou a merecida vitória por 3 x 0, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro.
O Santos, de novo, não tomou conhecimento do São Paulo. O time sobrou em campo, como tem acontecido ultimamente. Na Vila Belmiro, no Morumbi ou no Pacaembu.
Ao contrário do futebol cinzento mostrado pelos comandados de Bauza, o time de Dorival Júnior jogou de forma leve, para frente, atacando, mostrando capacidade de vencer e convencer. Os jogadores se divertem em campo, um time que sorri enquanto dribla e dá risada quando faz gols. Porque futebol é, acima de tudo, diversão. E a torcida do Santos se divertiu mais uma vez contra o São Paulo. Com direito a olé.




Adriano Oliveira tem este Blog desde 2009, mas a paixão pelo futebol nasceu bem antes disso. É um apaixonado que vibra pelas 11 posições, mas sempre assume uma, pois jamais fica em cima do muro. Aos 43 anos, o futebol ainda o faz sentir a mesma coisa que ele sentia aos 10.

2 comentários:

Nayana A. Peres disse...

Que jogo! Que emoção! Que torcida!
Foi um "baile" do SANTOS. Jogou à vontade. Lindo para nós, para quem curte um bom futebol.
É a vez dos "novinhos" rsrs..
Parabéns pelo texto!!! Informação e opinião juntas e somando.
Sou fã do blog!
Beijos!

Adriano Oliveira disse...

O Santos mereceu o placar de 3 x 0 porque buscou o gol desde o começo. Um time jovem com ímpeto ofensivo.
Muito obrigado e beijos.