segunda-feira, 29 de julho de 2013

SÃO PAULO, SANTOS E CORINTHIANS EM ¼ DE BRASILEIRÃO

Circunstancialmente, "não perder" para o Corinthians significou um ótimo resultado para o São Paulo. Apesar de figurar na zona de rebaixamento dentro de seu pior retrospecto na história, o time do presidente Juvenal Juvêncio conseguiu não chegar à sua 9ª derrota seguida, mesmo jogando contra seu algoz na temporada e no estádio do Pacaembu lotado de corintianos. Quem diria, são-paulinos sorrindo após empatar em 0 x 0 um clássico contra o rival numa série de 12 partidas sem vencer. Agora a equipe do técnico Paulo Autuori faz uma pausa no Brasileirão e viaja à Europa para disputar dois torneios internacionais. Deve apanhar diante do Bayern de Munique, por exemplo, mas será bom para amenizar as cobranças por aqui. Porém péssimo porque, quando retornar, certamente estará na lanterna do Brasileirão a 3 ou 4 pontos do time mais próximo na tabela. E será difícil a caminhada de recuperação.
O Santos continua com seus altos e baixos. Em fase de reformulação do elenco, diretoria e comissão técnica, o time do (até aqui) competente técnico Claudinei Oliveira alterna boas e más atuações, repleto de jogadores jovens e, sim, atrevidos, mas que precisam se aprimorar em alguns quesitos fundamentais, especialmente finalização. Curiosamente, quando o time entra em campo apenas com a garotada que veio da base, joga muito bem, vence e convence. Mas quando os veteranos estão juntos em campo, o time perde rendimento. Para se ter uma idéia, em todas as partidas que Edu Dracena e Durval estiveram presentes, o Santos perdeu (contra Botafogo, Criciúma e Ponte Preta). Já Montillo não consegue mesmo se afirmar, vez ou outra tem um ou outro lampejo de inspiração, o que é pouco para um investimento de mais de R$ 16 milhões. E Arouca está bem aquém daquele volante aguerrido de 2010 e 2011, que apoiava tão bem o ataque. Agora o time santista também faz uma pausa de uma rodada no Brasileirão para jogar o amistoso diante do Barcelona, no estádio Camp Nou. É claro que o time espanhol é muito superior a esse time em formação do Santos, cheio de garotos que devem ficar deslumbrados ao enfrentarem o novo e todo-poderoso time de Neymar, mas por ser o começo da temporada européia, acredito num bom jogo de prestígio internacional.
Sobre o Corinthians, uma só explicação: o time se acomodou. E o técnico Tite sabe disso. Depois de conquistar títulos importantes e de perder o ótimo volante Paulinho para o exterior, a equipe não consegue mais repetir as boas atuações da temporada do ano passado. Prova disso é o baixo número de gols marcados: 6 gols em 9 jogos, com 5 gols tomados. O pior ataque do Campeonato Brasileiro até aqui. Saldo de apenas 1 gol em 9 rodadas. Muito pouco para um conjunto forte como o do Corinthians. Jogadores como Pato, Douglas, Sheik, Danilo, Guerrero, Romarinho, Ralf e Renato Augusto podem fazer mais. Neste caso, qual deve ser o melhor caminho para o técnico Tite? Priorizar a Copa do Brasil. Um torneio mais curto, de menor equilíbrio técnico e com uma fórmula que seu time sabe jogar bem: os mata-matas. Além de ser o caminho teoricamente mais fácil para se voltar à Copa Libertadores em 2014.
Se dedicar à Copa do Brasil e fazer uma campanha satisfatória no Brasileirão, sem correr riscos de rebaixamento, pode (e deve) ser a estratégia adotada neste segundo semestre para Corinthians, São Paulo e Santos. Porém, o caminho será bem mais complicado para o time do Morumbi. Quem viver, verá.

2 comentários:

Nayana A. Peres disse...

Ainda estamos na 9ª rodada e acredito em uma melhoras dos grandes Paulistas. Mas só não pode "acomodar" durante todo campeonato. Todo mundo correndo da segundona, e quem bobear, fica.

Adorei o texto. Sensato como sempre, com informações certas e um ótimo conhecimento.

O blog é maravilhoso!

Beijos

Adriano Oliveira disse...

Acomodação, falta de planejamento, incompetência dentro e fora de campo. Esses são ingredientes imprescindíveis para o rebaixamento. Muito obrigado! Beijos!