terça-feira, 14 de outubro de 2014

O CAMPEONATO QUE NÃO SE DECIDE


Ninguém é melhor do que ninguém.
Essa é a constatação depois de 28 rodadas desse quase empolgante Campeonato Brasileiro.
Quando o lanterna Botafogo perde em casa para o Palmeiras e, na rodada seguinte, vence o Corinthians, que antes venceu fora de casa o badalado Cruzeiro, que havia ganho do Internacional, que perdeu por 5 x 0 para a Chapecoense. Quando o Santos vence quatro partidas seguidas, sendo duas fora de casa, e depois perde por 3 x 0 para o time de pior ataque do torneio. Quando o Flamengo, o tempo todo na zona da confusão, fica a 3 pontos da degola e bate o Cruzeiro por 3 x 0. Quando a debutante Chapecoense passa por cima de tanta gente grande, dentro e fora de casa. Quando o São Paulo perde fácil para o Fluminense dentro do Morumbi e depois ganha do Grêmio no sul, que também perde fácil para o Palmeiras, de virada, sob gritos de olé.
E são tantos exemplos de um campeonato que fica decidido num domingo e que, na quarta-feira, tudo volta a ficar em aberto.
Quando o torcedor passa a acreditar que “agora dá”, mas logo em seguida leva um susto, enfrenta um choque de realidade e entende que “não dá mais”.
Quando todos os times da segunda página da tabela ainda podem ser rebaixados. E todos da primeira página têm alguma chance de classificação para a Copa Libertadores.
E então, qual é a melhor fórmula? A emoção do mata-mata ou o prêmio à competência dos pontos corridos?
No mata-mata, tudo pode acontecer. Basta lembrar que, em 2013, o Flamengo eliminou o Cruzeiro nas semi-finais da Copa do Brasil e foi campeão. Porém, nesse atual Campeonato Brasileiro por pontos corridos, o acaso não está protegendo quase ninguém, com uma certa exceção ao Cruzeiro, que pode queimar a "gordura acumulada" e seguir mais perto da linha de chegada que os demais.
Existem favoritos, mas não existe lógica.

2 comentários:

Nayana A. Peres disse...

Eu gosto muito mais da "emoção", apesar de acreditar que o formato do Brasileiro é mais justo. Como disse, falta pouco mas muita coisa pode mudar.
Parabéns pelo texto e pelo blog.
Sou fã! ;)
Beijos!

Adriano Oliveira disse...

Concordo, além de que já temos mata-matas nos torneios estaduais, Copa Libertadores, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana. O torneio por pontos corridos contempla os times com melhor planejamento e rebaixa os piores. Mais justo impossível. Obrigado! Beijo!