domingo, 19 de outubro de 2014

ATÉ ONDE VALE O SACRIFÍCIO DE JOGAR SEM RECEBER?

Muito se falou sobre a conduta do goleiro Jefferson ao não se apresentar para a partida contra o Santos, no meio de semana, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil. Teve gente que até mesmo atribuiu à essa ausência a goleada por 5 x 0 que causou a eliminação do Botafogo. Comentaristas na TV falando que "uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa", relacionando a não-apresentação do goleiro ao atraso dos salários no clube carioca que já dura meses. Pois bem, quantos comentaristas trabalhariam meses sem receber salário? E, no caso, dentro de uma sala com ar-condicionado e cadeira confortável. Será que o comentarista, após uma longa viagem de avião voltando da China para cobrir um jogo da seleção brasileira, chegaria ao Brasil e iria direto do aeroporto para o Pacaembu para comentar um jogo da Copa do Brasil? Sem receber seu salário há três, quatro meses?
Diretoria e atleta resolveram encerrar essa discussão afirmando que houve um erro de comunicação entre as partes. Ponto.

Por outro lado, ninguém é obrigado a trabalhar sem receber. Isso é primordial em qualquer relação entre empregado e empregador, não importa a função ou o valor do salário. Mas Jefferson, mesmo sem o dinheiro depositado em sua conta, continua sendo profissional, está treinando e defendendo muito bem o gol do Botafogo. Prova disso é sua convocação para a seleção brasileira. Ele está entre os melhores goleiros do Campeonato Brasileiro, senão o melhor, apesar da situação delicada de sua equipe no rodapé da tabela.
Dessa forma, criticá-lo porque não se apresentou para jogar no dia seguinte após dois amistosos da seleção e passar 24 horas viajando de avião, sem receber seus vencimentos há meses, é no mínimo incoerente. Ou seja, vale a pena se "sacrificar"? Talvez seria cômico se não fosse trágico.
Jefferson não deixou de trabalhar mesmo sem receber. Contudo, porque ele deveria fazer "sacrifícios" por um clube que há tanto tempo não honra seus compromissos com o elenco? Que dispensa quatro jogadores importantes quando o time ocupa a lanterna do Campeonato Brasileiro e antes de uma partida decisiva na Copa do Brasil? Certamente, boa parte dos botafoguenses compreende a atitude do goleiro e sabe que quem deve ser cobrado mais do que nunca é a diretoria do clube, e não quem trabalha sem receber e sem perspectiva de que a situação possa melhorar.
Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Mas sem sacrifícios.

2 comentários:

Nayana A. Peres disse...

Me impressiona a quantidade de críticas, sendo que, no lugar dele, 98% dessas pessoas fariam a mesma coisa. É fácil falar quando está de fora, quando não é a sua pele. Hipocrisia.
Enfim, eu faria o mesmo, ainda mais com o nome de respeitado que tem.
Parabéns pelo blog, você é incrível.
Muitos beijos!

Adriano Oliveira disse...

As pessoas criticam a postura do Jefferson, mas não se colocam em seu lugar para sentir o que é trabalhar meses sem receber. Sim, hipocrisia demais. Obrigado, um beijo.